Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

domingo, 27 de janeiro de 2013

Ravi Shankar deixou a vida terrena

Obviamente ou não, poucos são os ocidentais que apreciam música indiana, eu tenho o privilégio de ser um deles. E foi com os Beatles, e com o seu elemento George Harrison, que me fui afeiçoando à pura música indiana, sem “Rock” à mistura. A minha experiência de ouvir a cítara (instrumento indiano), também passou nos Moody Blues (grupo do qual falarei daqui a uns tempos). 
           
Muita música sofreu a influência deste espectacular instrumento com o seu som característico, deixo-vos um exemplo. Depois desse, e se tiverem paciência, ouçam os três pequenos “clips” seguintes com música indiana e com Ravi Shankar. É uma música relaxante e talvez fiquem impressionados a calma e a paz que ela nos pode trazer, em momentos de leitura, concentração no trabalho, e em alturas em que necessitamos pensar e/ou meditar. 
                 
Moody BluesThe Om, do álbum de 1968 “In Search of the Lost Chord”.        
               
          
                   
George Harrison a aprender cítara com Ravi Shankar.          
              
          
                 
Entrevista Ravi e George nos finais da década de 90.      
              
            
                  
(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)            
             
Pandit Ravi Shankar (Bengali: রবি শংকর; nascido Robindro Shaunkor Chowdhury; Varanasi, 07-04-1920 — San Diego, 11-12-2012) - Foi um compositor e músico indiano. Ravi Shankar ficou conhecido em todo o mundo na década de 1960, ao colaborar com os Beatles. Ravi Shankar foi considerado como o "padrinho de música do mundo".
Nascido, o mais novo, de sete filhos de uma família brâmane bengali. O seu pai, V. Lakshinarayana, era professor de violino no seu país, o que contribuiu para que Shankar começasse a tocar esse instrumento quando tinha cinco anos. Uma década depois, deixou a Índia para viajar a Paris com a companhia de dança do seu irmão Uday. Em 1936, começou a estudar a cítara, instrumento tradicional indiano, sob a direcção de Ustad Allauddin Khan, e pouco depois começou a fazer excursões pela Europa e EUA.
Alcançou a fama no Ocidente graças a sua amizade, com o guitarrista George Harrison, dos Beatles, de quem foi “guru”, após tê-lo conhecido em 1966. No ano seguinte, realizou seu primeiro dueto com o violinista Yehudi Menuhin, com o qual posteriormente, colaborou em várias ocasiões.
Em 1969, viajou aos EUA com a intenção de aprofundar-se na música do Ocidente e, ao mesmo tempo, popularizar sua música hindu. Dois anos mais tarde, a pedido da “Orquestra Sinfónica de Londres”, compôs um concerto que estreou no “Royal Festival Hall”, na capital inglesa. Em 1976, começou a colaborar com o guitarrista John McLaughlin, com quem fundou o grupo Shakti, trabalhou na “One Truth Band” e gravou o álbum “Touch me there”, sob a direcção de Frank Zappa. Ravi Shankar participou do “Festival de Monterrey” em 1967 e 1969 ao lado de Jimi Hendrix, Joe Cocker, Janis Joplin e outros no lendário Festival de Woodstock.
Shankar ensinou nas universidades de Nova York e Los Angeles, dirigiu a partir de 1970, o Departamento de Música indiana no “California Institute of the Arts”. Compôs bandas sonoras de filmes diversos, entre outras coisas, de Richard Attenborough "Gandhi". Em 1986 foi nomeado pelo primeiro-ministro Rajiv Gandhi para a casa superior do Parlamento indiano, onde actuou até 1992.
Com o seu álbum "The Living Room Sessions Parte 1" Ravi Shankar foi nomeado para os Grammy Awards de 2013 na categoria "Melhor Álbum de Música do Mundo".         
               
Concerto para Bangla Desh – decorria o ano de 1971. Com Ravi Shankar (cítara), Ali Akbar Khan (sarod), Allah Rakha (tabla) e Kamala Shastry (tambura). Composição Bangla Dhun.         
                
           
              
Nas celebrações “India & Pakistan's Golden Jubilee”, Pandit Ravi Shankar, acompanhado pela filha Anoushka Shankar, tocou ao vivo na BBC no “The Symphony Hall”, em Birmingham. A composição Raga Khamaj.          
                 
            
                    
Ravi Shankar & Anoushka Shankar - Raga Anandi Kalyan        
               

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.