Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

domingo, 16 de dezembro de 2012

Luísa Sobral - Jazz Singers (I)

Começo hoje um novo artigo, apelidado “Jazz Singers”, sobre alguns artistas de que gosto. Alguns deles, tenho vindo a conhecer e a aprender a ouvir. Como tenho dito por aqui e pelo meu antigo Blog, o ser humano que procura a fuga à rotina, devia fazê-lo em tudo. Nomeadamente, na escolha da sua audição musical. E mais não digo, porque quem quiser ouvir que ouça!!!

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

A pequena biografia fala por si, mas afinal também temos cantoras de jazz neste País, com muita qualidade e reconhecimento. Oxalá fosse assim em tudo e não estaríamos aqui, e hoje, na situação em que estamos.

Luísa Maria Vilar Braamcamp Sobral (18-09-1987 – 20xx) – É uma cantora e compositora portuguesa. Saíu do anonimato em 2003 no programa “Ídolos”, da “SIC”. Tinha apenas 16 anos. Não venceu, mas ficou em 3.º lugar. Pouco tempo depois rumou para os Estados Unidos para estudar no “Berklee College of Music”, onde terminou a licenciatura em 2009.
Edita o seu álbum de estreia, “The Cherry On My Cake”, a 14 de Março de 2011, onde atinge na primeira semana o Nº. 3 das tabelas de venda, em Portugal.
Em 2012, torna-se na terceira artista portuguesa a actuar no programa “Jools Holland”, apresentando canções suas e dividindo o palco com “Melody Gardot”. Luísa, fez, também, algumas das aberturas da digressão da norte-americana.
Durante a estadia nos Estados Unidos, foi nomeada nas categorias "Best Jazz Song", no “Malibu Music Awards” em 2008; "Best Jazz Artist" no “Hollywood Music Awards”; "International Songwriting Competition" em 2007 e "The John Lennon Songwriting Competition" também em 2008.
Entre as suas influências, destacam-se nomes como Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Chet Baker, Björk, Regina Spektor, Rui Veloso, Jorge Palma, Bernardo Sassetti, Sara Tavares, Romana, Maria João e Mário Laginha.        
           
Clementine       
            
         
           
Green Day         
           
       
             
Not there yet            
             
        
           
Xico      
           

4 comentários:

  1. É curioso como, num país tão pequeno como o nosso, se têm revelado tantos talentos, provenientes de programas de TV das várias estações !
    Muitas delas, muito mais apreciadas lá fora, do que por cá !
    Será provavelmente mais uma que procurará o seu futuro lá por fora !
    .

    ResponderEliminar
  2. Pois Rui isso vai ser de certeza verdade. E assim vamos ficando com o nosso património vivo cada vez mais vazio...
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Adoro a Luísa...
    Parece que vamos ter muitos "cromos" repetidos! ;)

    Estou a gostar imenso do teu blogue. Vou vir aqui roubar imensas músicas e inspiração.

    ResponderEliminar
  4. Andei pelo teu Blogue e já lá vi alguns "cromos" repetidos... sim ! :)

    Obrigado Euterpe

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.