Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

domingo, 13 de maio de 2012

5MJZ (XIX) - Bix Beiderbecke Orchestra

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)            
               
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País.
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.         
               
Leon Bix Beiderbecke (Davenport, Iowa, EUA, 10-03-1903 — Queens, EUA, 06-08-1931) - Foi um cornetista e pianista de jazz dos Estados Unidos da América. Junto com Louis Armstrong, Beiderbecke foi um dos solistas de jazz mais influentes da década de 1920. A sua forma característica de tocar em "Singin' the Blues" (1927) e "I'm Coming, Virginia" (1927), em particular, mostrou uma rara pureza de timbre e jeito para a improvisação. Com aquelas duas músicas, Beiderbecke ajudou a desenvolver a balada no “Jazz”, criando as raízes para o “Cool Jazz” na década de 1950. "In a Mist" (1927), uma música marcada pelas suas composições para piano, e a única que ele gravou, juntava influências clássicas com “Jazz” sincopado. Tem, também, sido atribuído a Beiderbecke uma influência directa de Bing Crosby e, de maneira menos directa, através do saxofonista Frank Trumbauer, de Lester Young.
Nascido em Davenport, Beiderbecke aprendeu a tocar corneta de ouvido, o que o levou a adoptar uma maneira de tocar diferente, não académica, que alguns críticos musicais atribuem ao seu som original. Começou por tocar com um grupo de jazz, “The Wolverines”, em 1924, passando, de seguida, por pouco tempo, para a “Orquestra de Jean Goldkette”, de Detroit, antes de se juntar a Frankie "Tram" Trumbauer, para um longo conjunto de concertos na Arcadia Ballroom em St. Louis. Beiderbecke e Trumbauer juntaram-se a Goldkette em 1926. O grupo viajou por vários lugares, destacando-se um concerto em New York, em Outubro de 1926, com Fletcher Henderson no “Roseland Ballroom”. No ano seguinte, Trumbauer e Beiderbecke deixaram Detroit para se juntarem à mais famosa e prestigiada orquestra de dança no país, a “Paul Whiteman Orchestra”, de New York.         
              
Royal Garden Blues", é uma composição de “Blues” composta por Clarence Williams e Spencer em 1919 (*). Popularizado no “Jazz” pela “Original Dixieland Jazz Band”, que desde então tem sido gravado por vários artistas e tornou-se um “standard de jazz”. A canção é considerada uma das primeiras canções populares com base em um “riff”. “Riff” é um termo jazz referindo-se a uma breve  e relaxante frase, repetida ao longo de melodias em mudança.            
             
(*) 1919 – Lei Seca nos Estado Unidos; Aquilino Ribeiro publica “Terras de Demo”; Arquitecto Walter Gropius funda o movimento “Bauhaus” em Weimar (Alemanha); Assassínio do revolucionário mexicano Emiliano Zapata.         
                

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.