A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

domingo, 11 de março de 2012

5MJZ (X) - Sonny Rollins Quartet

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)            
                   
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País.
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.             
                 
Theodore Walter "Sonny" Rollins (New York, EUA, 07-09-1930 – 20xx) - É um saxofonista tenor norte-americano. Sonny Rollins tem uma longa e produtiva carreira no jazz. Começou a tocar com 11 anos de idade. Antes dos 20, já tocava com o legendário pianista Thelonious Monk. Rollins ainda grava e faz digressões, tendo tido, até hoje, uma vida e uma carreira muito mais duradoura que muitos dos seus contemporâneos no jazz, como John Coltrane, Miles Davis e Art Blakey, músicos com quem gravou. Rollins começou como pianista, tendo migrado posteriormente para o saxofone “alto”, finalmente trocou para o “tenor” em 1946. A sua primeira gravação data de 1949 com Babs Gonzalez (vocal). No mesmo ano gravou também com J.J. Johnson (trombone) e Bud Powell (piano). Em 1950, Rollins foi preso por roubo, tendo recebido uma sentença de três anos de prisão. Cumpriu 10 meses e foi libertado condicionalmente. Dois anos depois, foi novamente preso por uso de heroína, violando assim os termos da sua liberdade condicional. Frequentou, então, uma instituição de desintoxicação na qual recebeu altas doses de medicamentos até que curasse completamente o seu vício. Sonny Rollins começou a construir o seu próprio nome, quando gravou com Miles Davis (trompete) em 1951 e Thelonious Monk (piano) em 1953.
Sonny entrou para o quinteto de Clifford Brown (trompete) e Max Roach (bateria) em 1955, substituindo Harold Land (saxofone). Com a morte de Brown no ano seguinte, passou a trabalhar mais como chefe da banda. No dia 22 de Junho de 1956, Sonny gravou seu aclamado álbum “Saxophone Colossus”. Nele tocavam o pianista Tommy Flanagan, o contrabaixista Doug Watkins – que actuara nos “Jazz Messengers” – e seu baterista favorito, Max Roach.           
               
You Don´t Know What Love Is", de 1941 (*), com letra Don Raye e música de Gene de Paul. No álbum “Saxophone Colossus”, editado pela “Prestige”, gravado nos “Van Gelder Studios”, 22 de Junho de 1956, Hackensack, New Jersey.
Com Sonny Rollins (saxophone tenor), Tommy Flanagan (piano), Doug Watkins (contrabaixo) e Max Roach (bateria).         
           
(*) 1941 – A Alemanha “nazi” invade a União Soviética; o Japão ataca “Pearl Harbour”; A Itália e a Alemanha declaram guerra aos Estads Unidos e Orson Welles realiza, talvez o seu melhor filme, “Citizen Kane”.              
                 

2 comentários:

  1. Não imagino porque seja, mas só gosto de ouvir jazz à noite... e com sol é quase missão impossível lol

    ResponderEliminar
  2. Soou capaz de estar de acordo contigo. O jazz é uma excelente música para ouvir à noite.
    Bjs

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.