A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Gira-Discos (XIX)


(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)    
             
Filarmónica Fraude (1968 – 1970) - É uma banda portuguesa, uma das primeiras a introduzir e a dar relevância em Portugal ao estilo musical que começava a surgir na Europa e nos Estados Unidos da América denominado de “Rock” progressivo. Em 1969 lançou um álbum e dois EPs e foi tudo.
A Filarmónica Fraude nasce em 1968 entre o Entroncamento e Tomar com dois ex-integrantes do conjunto “yé-yé” “G-Men”, António Pinho, que deixa de tocar bateria e passa apenas a escrever as letras, e José João Parracho (baixo) que estudava em Tomar com os outros elementos. Eram eles, António Luís Linhares Corvêlo de Sousa (compositor e teclas), Júlio Patrocínio (bateria) e Antunes da Silva, Toneca, o vocalista.
A mulher de António Pinho andava em Direito em Lisboa e era amiga da filha de um dos donos da “Torralta”. Através dela conseguiram um contrato para tocar no mês de Agosto de 1968 no Alvor. Tocavam à noite e durante o dia compunham as canções. Foram introduzindo essas novas canções, tais como "Os Animais de Estimação" e a "Flor de Laranjeira", nos espectáculos.
João Brito, voz em "Flor de Laranjeira", ex-integrante do conjunto académico “Os Atlas”, integra também o grupo.         
           
Animais De Estimação” de 1969          
            
          
                
Flor De Laranjeira” de 1969              
              

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.